MERCEARIA SILVA

MERCEARIA SILVA
PUBLICIDADE

VEM A I A MEGA INAUGURAÇÃO DA COIFE ODONTO

VEM A I A MEGA INAUGURAÇÃO DA COIFE ODONTO

segunda-feira, 26 de junho de 2017

CACHOEIRA GRANDE - Gaeco e Polícia Civil prendem ex-prefeito por desvio de recursos públicos

Gaeco e Polícia Civil realizaram operação
Foram presos na última sexta-feira, 23, em uma operação conjunta do Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e Polícia Civil, por meio do 2º Departamento de Combate à Corrupção (Deccor), Francivaldo Vasconcelos Sousa Filho, ex-prefeito de Cachoeira Grande, e seu filho, Alexandre Vasconcelos Oliveira Sousa. Os dois são suspeitos de fraudes em licitações, desvios de verbas públicas, superfaturamentos e improbidade administrativa no período de 2013 a 2016.Outros dois integrantes da organização criminosa continuam sendo procurados pela Polícia. Henrique Silva dos Santos, ex-contador da Prefeitura, e Gustavo Vasconcelos, sobrinho do ex-prefeito, também têm mandados de prisão expedidos.

As investigações foram iniciadas com base em denúncias encaminhadas por servidores públicos de Cachoeira Grande à Promotoria de Justiça da Comarca de Morros, da qual o município é Termo Judiciário. As investigações apontaram a existência de um esquema bem organizado, inclusive com um livro de controle dos desvios.

Em pelo menos dois contratos há indícios de superfaturamento. Em um deles, firmado com a empresa Habitat, de administração de condomínios, há indícios de repasses fraudulentos que variam entre R$ 45 mil e R$ 120 mil.

A Habitat firmou contrato, em 2012, para prestar serviços de limpeza interna e externa nos prédios públicos municipais, com prazo de 12 meses. Apesar de ter recebido mais de R$ 3,1 milhões, a empresa nunca prestou qualquer serviço ao Município de Cachoeira Grande. No ano seguinte, o contrato continuou, por meio de um aditivo assinado com a empresa.

No livro caixa da empresa, constam vários pagamentos de ‘honorários’ à Prefeitura de Cachoeira Grande, que, na verdade, seriam os repasses ilegais aos gestores municipais.

As investigações apontaram irregularidades em um outro contrato, para locação de máquinas. Descobriu-se, no entanto,que as máquinas alugadas pertenciam, na verdade, ao sobrinho do ex-prefeito, Gustavo Vasconcelos. O valor do contrato girava em torno de R$27 mil mensais.

Redação: Rodrigo Freitas (CCOM-MPMA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages